Follow-on: o que é e como funciona

Desconhecida para muitos, o follow-on nada mais é do ofertas subsequentes de ações que empresas utilizam para conseguir mais recursos. Veja a seguir e saiba mais do que se trata.
Anúncios


Follow-on
Fonte: Google
Anúncios


Provavelmente você já deve ter ouvido falar algumas vezes em IPO, que significa que uma ação está estreando na Bolsa de Valores. Você sabia que as companhias têm autorização para emitir papéis novos depois disso? Isso é a oferta subsequente – ou, como é mais conhecido, o “follow-on”.

O termo follow-on é muito utilizado no mercado acionário. Quando uma empresa decide realizar a venda das ações pela primeira vez, ela faz uso do IPO. Contudo, se mais a frente, ela opta por vender mais ações, então ela realiza o follow-on.

Essa ferramenta pode representar uma alternativa interessante para a empresa conseguir arrecadar mais capital, com o intuito de expandir as operações ou simplesmente abrir outras unidades.

Anúncios


Além dessa possibilidade de expansão dos negócios, esse movimento pode representar uma oportunidade para aqueles que são sócios realizarem a venda de suas participações, realizando assim o investimento feito.

Se você quer saber mais sobre o que é follow-on, como acontece e por que as empresas acabam fazendo, continue com a leitura do artigo e confira!

Afinal, o que é follow-on

Follow-on é um termo muito usado no mercado acionário que deriva do inglês e significa oferta subsequente. Como o próprio nome já dá a entender, diz respeito a uma oferta de ações que é realizada por uma empresa que já possua capital aberto e outras ações na BV.

Muitas são as razões que conduz uma empresa a fazer ofertas de ações, no entanto, a principal é possuir acesso ao capital. Além dessa possibilidade, pode ser que um acionista significativo, que é dono de uma parte considerável da empresa, oferta seus respectivos papéis no mercado, neste caso a oferta é considerada secundária.

Anúncios


Fazer uma oferta de ações é vista como uma boa opção para obter o capital necessário para realizar novos projetos. Nesse caso, colocar as ações à venda no mercado é melhor que recorrer a algum empréstimo.

Por que uma empresa faz o follow on?

Follow-on
Fonte: Google

O principal motivo pelo qual uma empresa decide emitir papéis no mercado é para conseguir novos recursos. Por exemplo, se há pretensão de abrir uma área nova na empresa, ou lançar um algum produto novo e é preciso mais capital para realizar isso, a empresa pode escolher o follow-on.

Além de promover um reforço no caixa, também é um estímulo para o crescimento. Fazer um follow on representa uma oportunidade de ampliar os negócios e adquirir mais liberdade para novas ideias para a empresa. Com mais recursos, é possível fazer coisas maiores.

Anúncios


Por fim, existe também o aumento da liquidez no mercado: haverá um volume maior de ações circulando em relação a períodos passados. Isso é interessante tanto para a empresa quanto para os sócios, que conseguirão, muito provavelmente, negociar seus papeis com uma facilidade maior.

Vale a pena investir em follow on?

A resposta a essa pergunta é a mesma quando o assunto se refere a investimento: depende. Para avaliar se vale a pena investir em um ativo, o primeiro passo é saber quais são os seus objetivos em relação a ele. Além disso, é necessário você conhecer qual é o seu perfil de investidor, para evitar que compre algo desnecessário

Portanto, cabe a você analisar bem se investir em follow-on é o ideal. Saiba quem as empresas que são responsáveis por realizar esse processo podem ser muito diferentes umas das outras, por isso, observá-las bem antes de decidir é fundamental.

Anúncios


Conclusão

Follow-on é interessante, pois pode representar uma oportunidade de as empresas angariar novos recursos para, dessa forma, dar sequência a projetos que sem a entrada de dinheiro não seria possível.

Porém, é preciso analisar com cuidado esse tipo de investimento. Escolher sem antes tem certeza de que isso tem a ver com seu perfil de investidor pode significar problemas mais a frente.

Gostou do artigo? Compartilha com seus amigos, em suas redes sociais e ainda com os seus familiares. Não esqueça de ler outros artigos sobre o assunto aqui no blog relacionados a finanças, investimentos, empréstimos, bancos digitais e cartão de crédito.